Vozes da Tempos
Recomendar esta página no Facebook       


23.08.2015

Onde vai ser o meu evento? Fora do país.

 New World Center em Miami, moderno e tecnológico, ideal para eventos de porte médio

 

 

Apesar da recessão, a quantidade de eventos brasileiros realizados fora do país continua aumentando. EUA, México e Caribe continuam sendo os destinos preferidos pelas agências e clientes. Conversamos com empresários do setor de live marketing, para entender o que sustenta esta tendência. E a lógica por trás disso é muito simples.

 

O objetivo principal de um evento corporativo é motivar. E o nosso país está pra lá de desmotivante. Manter a perspectiva positiva fica cada vez mais difícil. Os profissionais de todos os segmentos estão cansados, tanto empresários quanto prestadores de serviços. A qualidade dos serviços, de maneira geral, caiu muito, o que inclui o segmento hoteleiro.

 

Diante deste panorama, levar os seus convidados para um local encantador, com espaços para eventos incríveis, onde tudo é organizado, pode ser mais do que inspirador e motivacional… pode ser a garantia de um evento eficaz.

 

Mas como fica o budget?

 

Por incrível que pareça, se os seus convidados estão em São Paulo, produzir um evento nestes países (EUA, México e no Caribe) tem o mesmo custo que levá-los até o Nordeste, ou até mesmo até o Rio de Janeiro!

 

Os principais centros de custo de uma planilha de eventos são as passagens aéreas e a hospedagem. A passagem aérea para estes países, com a alta do dólar, caiu pela metade. Ou seja, ir para Miami custa o mesmo do que ir para Salvador.

 

Estes destinos possuem excelentes opções de hospedagem - hotéis 4 estrelas preparados e gabaritados para receberem eventos com 100… 1.000… 2.000 pax… - por um custo inferior do que o nosso. A hotelaria brasileira precisa rever seus conceitos de atendimento, hospedagem e política de preços.

 

O melhor dos mundos

 

A plenária, coração de um evento corporativo, sempre foi uma preocupação importante para o diretores de marketing. Assim como no Brasil, o risco de contratar fornecedores de técnica e cenografia que não cumprem com a expectativa da entrega existe lá fora, e já rendeu grandes dores de cabeça para algumas agências.

 

Além disso, a questão do idioma, da legislação local, dos trâmites para desembaraçar equipamentos na alfândega, já tirou o sono de muitos produtores.

 

A solução surgiu por meio de empresários brasileiros, com uma vasta experiência em eventos corporativos no Brasil, que resolveram abrir escritórios em Miami e Orlando. Uma decisão ousada, tomada com base nesta tendência, que continua crescendo.

 

 

Carlos Arruda, CEO da agência 7 Events, com sede em Orlando

 

 

Carlos Arruda, CEO da agência 7 Events, com sede em Orlando, explica que o mercado de Live Marketing no Brasil é muito mais "profundo" do que nos EUA. "Os eventos americanos, na maioria dos casos, são realizados de forma muito tática e objetiva, sem muita preocupação estratégica. Por isso é fundamental ter uma agência brasileira, com base nos EUA, apoiando o seu evento aqui. Neste formato, você tem o melhor dos mundos: toda a criatividade e planejamento brasileiros, aliados à precisão e qualidade americanos. Isso faz toda a diferença."

 

 

 

Katia de Souza, sócia-diretora da KSR International

 

 

Katia de Souza, sócia-diretora da KSR International, explica que cada país tem suas exigências próprias e seu modo de trabalho. Não tem “jeitinho” para resolver eventualidades. É necessário pensar e se organizar bastante para minimizar possíveis riscos. "Os americanos, por exemplo, não atuam com cenografia como nós brasileiros. Buscamos sempre o inovador e o diferencial em cada projeto, afinal o evento precisa encantar sempre!"

 

A KSR International conta com uma equipe especializada e treinada dentro das peculiaridades de cada país, além de contar também com parcerias locais, nas cidades em que atuam, criteriosamente selecionadas. Com esta estrutura, ela também consegue reunir o melhor dos mundos: tecnologia em áudio visual e cenografia com projetos adaptados, com um custo acessível.

 

Luis Pascon, sócio-diretor da BEATO, confirma esta análise: "Cancún é um destino que permite entregas memoráveis. Mas você precisa contratar bons fornecedores de técnica e redobrar a atenção se sua cenografia for mais elaborada. Não descarte uma visita técnica com tempo adequado para pesquisa, avaliação e orçamento. As montagens não costumam revelar surpresas, é um equipamento ou outro que sofre pela fadiga do clima e precisa ser substituido, mas... só o será se for sob suas ordens! As equipes de trabalho são, em geral, bem qualificadas e solicitas."

 

Para colaborar com nossos leitores, a Tempos & Movimentos está produzindo uma série de reportagens sobre este tema. A primeira delas é uma entrevista com a produtora Sherica Chaluppe Doherty, especialista em produzir eventos nos EUA. Ela revela quais são os cuidados que devem ser tomados, as armadilhas e o caminho das pedras para que a sua produção corra tranquilamente.

 

 


Evento Toyota em Cancun produzido pela KSR International

 

 

 Jardim do New World Center em Miami

 

 

Ficha Técnica:

KSR International

Agência 7 Events

 

 

Foto do New World Center: Jarod Schultz

 





< voltar

Vozes da Tempos
O nosso movimento cresce e adquire mais força a cada novo colaborador que compartilha sua experiência, sua visão, suas impressões com os nossos leitores. Colaboradores são as vozes do mercado de live marketing.
AUTOR



Fortunée Levi
Diretora de Redação da Tempos & Movimentos.