Manual de Produção
Recomendar esta página no Facebook       


17.08.2015

A importância da escrita para a construção de bons projetos

 

Na última edição de Tempos e Movimentos abordamos a importância da escrita para a construção de bons projetos, cujos formatos, dos mais variados, possam alcançar seus objetivos específicos, de caráter pessoal ou empresarial. Destacamos que a sua argumentação, além de convincente, deve ser claramente expressa para que o leitor possa compreender o que está sendo explicitado com assertividade.

 

E no intuito de cooperar neste tema, a Palavra Bem Escrita em parceria inédita com o Tempos & Movimentos, iniciou no mês de maio uma série artigos nos quais serão dadas diversas dicas para dar um up grade no ‘bem escrever’. No primeiro artigo falamos sobre a objetividade na escrita e também sobre a arquitetura do texto. Hoje, abordaremos outros aspectos igualmente importantes como repertório, pesquisa e adequação de linguagem.

 

Algumas pessoas imaginam que escrever é um talento de apenas alguns elegidos, mas isso não é verdade. Todos nós somos, no mínimo, capazes de desenvolver essa habilidade, desde que haja interesse e certo empenho para lapidar a técnica desta tarefa, a partir do conhecimento teórico aliado com a prática.

 

Vamos então às nossas dicas para a idealização de um projeto bem escrito:

 

Ter um bom repertório – a criação e fluência na escrita têm a ver com a percepção que temos do mundo; o que significa considerar quem somos, a cultura na qual estamos inseridos, nossos hábitos, diversidade de gostos e preferências, dentre outros fatores. Entretanto, ter um bom repertório é também uma conquista, que é resultado da leitura de bons livros e jornais; de revistas de diversos segmentos; da opção em assistir bons filmes e vídeos; bem como frequentar exposições e espetáculos. As artes em geral, muito nos auxiliam para despertar nossa criatividade e dominar as diversas formas de linguagem. O mundo atual nos enche de possibilidades e a tecnologia facilita imensamente esse acesso. Em síntese, beber de fontes e universos distintos nos ajuda a escrever.

 

Pesquisa – antes de começar a escrever, é essencial um levantamento de dados e informações atualizadas sobre o tema a ser desenvolvido no projeto. Mais do que inspiração ou genialidade, o bem escrever precisa de fundamentação e requer uma busca dedicada e confiável. Referências de conceitos já desenvolvidos por diferentes autores/pesquisadores balizam o desenrolar de ideias e ajudam na qualidade e consistência do conteúdo. As experiências e os dados quantitativos, na mesma medida, sustentam argumentos e dão a veracidade tão desejada pelo leitor como base de sua futura decisão.

 

Adequação de linguagem – cada projeto exige um tipo de linguagem, pois a linguagem não é uniforme. Vários fatores vão determinar a adequação linguística de um texto como o assunto/tema, o público para o qual se destina, o ambiente que está inserido, o objetivo a que se presta e a intenção. A redação de um texto deve ser um ato efetivo de comunicação. Por isso, considerar o interlocutor é fundamental. Ele precisa compreender o sentido e o propósito da mensagem que você quer transmitir. Entenda para quem você está falando e, se for o caso, estude sobre o seu interlocutor (ou interlocutores). A linguagem também é definida a partir do ambiente, ou seja, um diálogo ou informação não podem ser similares em contextos distintos.

Reconhecer ambientes formais e informais é um requisito básico para escrever de forma mais adequada, empregando o nível culto ou coloquial da linguagem. Questões culturais também devem ser observadas. Obviamente o teor do projeto reflete o assunto proposto e a escrita deve ser condizente a este tema, sob o risco de desinteressar o leitor, caso o texto se desvie dele (tema). No momento da escolha da linguagem, tenha bom senso e a use de acordo com o assunto.

Por fim, vem a intencionalidade, fator importante para salientar o efeito pretendido com o projeto. Todo texto é carregado de intenções e para cada uma há uma forma de linguagem compatível: mais incisiva, sedutora, irônica, crítica e assim por diante. Se fossemos fazer um paralelo com a gastronomia, poderíamos dizer que é o tempero do texto, o que vai dar o tom do seu conteúdo e fisgar a atenção do seu leitor.

 

Agora é com você! Mão na massa... ou melhor, no texto!

 

 





< voltar

Manual de Produção
Uma seção dedicada para facilitar o dia a dia do profissional. Matérias tutorias sobre as mais diversas etapas de produção de um evento.